Seu Saraiva

Eu não nasci intolerante, sabe. Simplesmente aconteceu. Assim como qualquer coisa pode acontecer a qualquer momento, citando Fight Club: “This is your life and it’s ending one moment at a time”.

O mundo, as pessoas, as coisas, as criaturas me fizeram um ser intolerante. Além também de toda a minha vontade porque no fundo existe uma diversão secreta e individual em ser impaciente, cu e seu saraiva.

Mas, por outro lado, meu coração não é dos mais saudáveis e sinto que levar essa intolerância toda a limites estratosféricos me faria enfartar bem antes do previsto. Ou, então, em poucos meses eu acabaria convivendo apenas com gatos. Ou nem com eles, vai saber.

Todos nós temos defeitos e eu, muito provavelmente, posso ter mais do que todos, porém sei que um nível básico de paciência e amor no coração é pré-requisito primordial para uma boa convivência com o resto da humanidade.

Tenho absoluta certeza que não deve ser fácil para alguns conseguirem (terem vontade?) de me aturar, da mesma forma que PRA MIM TAMBÉM NÃO É NADA FÁCIL ATURAR ALGUNS – MUITOS – QUASE TODOS, OBRIGADA POR PERGUNTAR, mas a diferença é que eu estou em plena consciência disso e quero melhorar.

Óbvio que nunca deixarei minha chatice de lado, porque isso seria impossível, vou apenas tentar criar um processo que me faça entender e aceitar melhor as pessoas sem necessariamente querer dar um tiro na cara ou uma machadada nas costas de cada uma delas.

Então vamos nos unir, jovens impacientes e insuportáveis como eu. Se você também sempre tá pistola, pestanejando e clamando para os sete príncipes do inferno reinarem na terra, vamos fazer assim, antes de tudo: “RESPIRAR, 1 2 3”. Certo? Juntos conseguiremos, eu acho, eu espero!

Agora sério, galera do mal e do bem, deixem dicas, experiências, mantras, blasfêmias, tutoriais e o que mais quiserem para ajudar na melhora do bom comportamento destas nossas almas que só querem ficar em paz um porra de diazinho na vida, araaaaaa…

Anúncios